31.1.12

Um pé no futuro.


Estou um tanto impaciente o que deixou de ser novidade. Minhas noites de sono estão escassas e eu voltei a ter insônias, agora meu corpo vive a base de cafeína. Minha vida está tão bagunçada que eu não sei por onde começar. É tudo tão confuso e tão delicado. Se eu fosse um animal, seria um avestruz pra esconder minha cabeça quando o mundo resolvesse desabar.  Minha psicóloga disse que se eu não estou conseguindo encarar meus pesadelos de frente é melhor eu entrar no meu casulo e sair só quando eu estiver forte o suficiente. Ela está certa.

As mudanças que ocorreram colaboraram para que eu esteja assim, mas agora existe outra razão pelo qual me aflijo: O futuro . É meio complicado digerir que eu sou quase uma adulta, que esse ano eu completo 18 anos e que a faculdade tá gritando: " Oh Carolina, chegou sua vez criança.". A gente tá começando a deixar a molecagem pra virar super-homem ou super-mulher. Isso é responsabilidade demais. Os anos passaram tão rápido que por um momento eu me identifico com o   filme “De repente 30”: Um dia menina e de repente mulher.  Sabe o que dá vontade? De voltar naquela infância e ficar gritando com aquela voz de criança manhosa: “mamãe, papai o Anderson me bateu. Bate nele!” Fico só na vontade porque não existe uma máquina do tempo ao meu dispor.

Ouvir a palavra despedida me embrulha o estômago. Me deixa extremamente sensível. Ter que ver amigos indo embora me causa certa tristeza porque agora cada um está seguindo o seu caminho e logo mais serei eu. Eu quem irá deixar tudo e ir em busca de um sonho. Eu sei o que eu quero e embora ainda esteja estacionada, saber o que quer é o primeiro passo. Fico pensando naqueles amigos que não sabem o que querem, não sabem nem se quer ser alguém na vida. O que será deles? O que será de mim daqui alguns anos? Será que vamos nos encontrar novamente ou será que vão apenas viver nas minhas lembranças em uma tarde de domingo relembrando os tempos de juventude? Futuro. Futuro. Futuro. O que o Senhor deseja nos proporcionar? Se você soubesse o medo que Vossa Majestade nos causa, não seria tão misterioso e enigmático quanto parece. 

Dói  ter que dizer: "Quando você volta?" quando tudo que eu mais queria dizer é "Quero ver você, vamos fazer alguma coisa final de semana?". Meus olhos estão formando lágrimas  e eu tento me controlar para não deixar que elas caiam, não posso chorar aqui. Isso é o que eu chamo de saudade. Saudade do que já aconteceu e do que ainda está para acontecer. Enquanto alguns estão em clima de volta às aulas, eu e meus amigos estamos em clima de cursinho, vestibular, faculdade.

Meu pai trabalha em outra cidade embora passe a maior parte do mês em casa. Vivemos discutindo quando eu digo que irei estudar em outra cidade.  "Carolina, viver longe de casa não é fácil. Você começou a viver agora, não sabe nada da vida. Tem muito que aprender e muito que sofrer. Só vai entender o que estou dizendo quando você sentir na pele."  Mas nós somos novos demais, queremos desfrutar da vida não é mesmo? Quebrar a cara, pagar pra ver. Se eu disser que o preço por realizar os seus sonhos é o sacrifício de uma vida, você pagaria? Sua vida e seus sonhos no mesmo tabuleiro. Vou dar um palpite: Você paga! Paga nem que seja em 100x sem entrada no cartão de crédito, cheque ou boleto bancário.

Sonho é sonho e para alcança- lo é preciso renunciar. Nós vamos deixar o conforto da nossa casa, o beijo na testa de bom dia do nosso pai, a comida de domingo da nossa mãe, a briga com nossos irmãos ou irmãs e a farra com nossos amigos porque nós escolhemos ser alguém na vida. Vamos passar por situações complicadas e também engraçadas. Vamos conhecer pessoas novas, amores novos. Enfim, vamos viver a beça! Sofrer a beça! Porém, vamos chegar lá.  Vamos conseguir. Se Deus quiser e se tivermos determinação, persistência e vontade nós vamos conseguir sim, sem sombra nenhuma de dúvida. Se o sucesso vem do fracasso, vamos fracassar muito ainda até alcançar nossos objetivos. Lembrem - se disso, mas em hipótese alguma, desista. Nós só precisamos de três palavras: determinação, persistência e vontade. O resto é conversa pra boi dormir! Fala sério.

Eu tenho certeza que daqui alguns anos eu volto só para escrever que minha melhor amiga virou médica, que o meu melhor amigo virou engenheiro, que meus outros amigos virarão nutricionistas, arquitetos (a), enfermeiros (as), juízes (as), advogados (as), atores-atriz, empresários (as), publicitários (as), psicólogas (os), pode continuar a lista... Eu volto só para escrever que viramos alguém na vida apesar de toda a caminhada dolorosa que ainda teremos pela frente. Volto só para escrever que eu me tornei uma redatora publicitária, autora de sei lá quantos livros. Você vai ter certeza que seu maior sonho foi concretizado quando receber aquele diploma, mais vai ter mais certeza ainda quando você estiver com uma vida estabilizada, casado (a), com filhos e estes olharem com aquele olhar de admiração com uma voz doce falando: "mamãe, papai eu quero ser igual você quando eu crescer!" Alén de conseguir realizar seus sonhos, não tem nada mais gratificante do que  constituir uma família com filhos orgulhosos por poder ter alguém brilhante para chamarem de mamãe ou papai.

Eu não sei dos sonhos de vocês, muito menos o que almejam para o futuro. Meu único desejo é que vocês escolham uma estrada e trilhem sobre ela. Parem para olhar pra trás um pouco para ver quantas léguas ainda falta ser trilhada, mas por favor, não desistam. Não desistam dos seus sonhos mesmo que o mundo inteiro insista em desistir de você. É a sua vez de jogar, não passe a vez. Seja brilhante não para o mundo, mas sim para você. Isso é tudo.

Anna Carolina Morato.

Um comentário:

Anônimo disse...

http://acheterviagragnerique1.net/ viagra achat
http://comprarviagragenerico1.net/ viagra
http://acquistareviagragenerico1.net/ viagra
http://kaufenvaigragenerika1.net/ preise viagra