5.1.12

Calota de gelo!


Você descobre que esta loucamente e inteiramente apaixonada por  alguém quando começa a cometer o inimaginável. Eu cai nessa roubada, sério. Foi aí que eu pensei: Droga, fudeu! Já era.  Eu cometi loucuras. Coisas que eu jamais faria por alguém, eu fiz por ele. Eu me declarei de todas as formas, mas ele não percebeu. Nos mínimos detalhes, nos pequenos gestos. Me declarei quando mandava uma mensagem de bom dia. Me declarei quando pedia a Deus pra cuidar de nós. Me declarei quando ele vinha pedindo carinho. Me declarei quando chamava ele pelo nome. Me declarei mesmo,  mas que pra ele se tornou tudo insignificante, porque eu estava fria.

Eu confesso! Estava fria sim. Meio ausente, seca, mas é natural pra quem já se machucou. Como é que se ama alguém que já te fez sofrer? Eu sempre me faço essa pergunta, mas nunca tenho resposta. Ta aí o mistério do amor. Se antes o meu mundo era ele, dessa vez ele só fazia parte. Ele me fez mais mulher quando me deu dois pés na bunda e esperou que iria me encontrar menina. Não encontrou. Eu mudei, mas ele não se adaptou a minha mudança. A mulher que eu me transformei quebrou a peça de encaixe que ele tinha no meu quebra-cabeça. Lamentável, pra ele não pra mim.

Dessa vez, ele termina comigo por um motivo que em minha opinião, uma simples conversa resolveria, mas não. Ele é pratico demais. Eu deveria ter reparado que em questão de praticidade, ele ganha. Que coisa mais chata! Eu perdi a posição de pessoa mais prática do mundo. Esse jeito impulsivo e irresponsável que só ele tem, me esfola viva. Ele diz que eu errei e vou dar a ele esse luxo até porque em um relacionamento, a balança tem que ser equilibrada. Os dois erraram e ponto.

Eu sempre me pergunto cadê o amor? Quem ama não deixa uma, duas, três vezes. Quem ama quer ta junto. Quem ama não tem desculpa, não tem frescura. Quem ama só ama. Eu perguntei pra ele: “Cadê o seu amor?” “ O meu amor? ta aqui guardado, vou dar ele pra quem realmente mereça!” Triste. Eu não mereço o amor dele. Extremamente triste. Eu não queria cometer os mesmos erros e se tinha dias que eu não ligava e não mandava mensagem, porque ele não fazia isso? Cadê a merda de reciprocidade?  Eu queria dar espaço pra saudade, se é que vocês me entendem. Mas nããããão, ele disse que eu estava pisando nele porque eu fazia as coisas na hora que eu queria e na hora que eu bem entendia. Olha só, eu pisei tanto que até levei três pés na bunda. Viram como eu sou malvada?

Certamente ele vai me transformar na vilã, mas eu sou tão boazinha que quando me entregam o papel de vilã, eu administro com uma enorme satisfação. Me fazer de coitadinha nunca foi minha cara mesmo. E lá vai eu com o meu cinismo, porque ser cínica é menos triste.  E chega! Chega dessa putaria porque eu não sou dona de circo pra sustentar palhaçada de palhaço e olha que sustentei até demais porque coração você sabe, é meio burro e meio bobo. Meio burro – bobo.

A dor é tamanha que já criou anestesia própria e a minha sorte ou o meu azar, é que as únicas palavras que eu me apego, são as minhas porque são verdadeiras.  Se eu tivesse me apegado aos lamentos dele e em tudo que ele me disse, eu estaria com os olhos avermelhados de tanto chorar, mas nem isso eu consigo. Eu só espero que ele não se arrependa. Vem aqui Zé, abraça o meu coração. Tá tremendo porque Zé? Sentiu Zé? Eu congelei. Meu amor congelou. Meu coração virou uma calota de gelo. Desculpa Zé! E agora? Agora foda-se né Zé. Foda-se!

Anna Carolina Morato.

4 comentários:

Anonymous disse...

isso não é nem uma indireta, é bem direta mesmo hein

Anonymous disse...

Foda-se o problema é dela se foi direta ou indireta. Quem ler vai entender pra quem é. 2bjs

Anonymous disse...

Pelo menos ela nao colocou o nome do dito cujo !

larissa disse...

Primeiro, é um orgulho ver o quanto minha pequena cresceu. Você amadureceu tanto desde a época que nos conhecemos, que meus olhos lacrimejam de felicidade. Você, hoje, é uma mulher, madura, que sabe o que quer e está pouco importando com o que os outros pensam, acham, falam, etc. Tudo o que importa hoje é você. E saber que acompanhei todo esse crescimento, me enche de felicidade. Segundo, o texto. Você conseguiu arrancar tudo do coração e colocou minuciosamente aqui, para nos dar esse prazer de te ler. Infelizmente esses acontecimentos trazem dores e pior, nos fazem desacreditar, por um momento, no amor. O que é uma pena. Esse sentimento tão bonito não deveria vir acompanhado de dor. Só que não seria amor se não doesse um pouquinho que fosse. Acredito que essa seja a prova de que o amor existe, sofrer. E junto com o sofrimento, vem a ironia. Agora me pergunto se ele sente o mesmo que você, ou se está pouco importando com tudo isso. Filho da puta é filho da puta. E se ele for um, ele não te merece de maneira alguma. Mas às vezes, eles têm que passar pela nossa vida para não cairmos em mais armadilhas do amor. Sempre amamos os que não prestam. Demora muito tempo para encontrarmos nosso verdadeiro amor. Por isso, não deixe de procurar pelo seu amor. Mais cedo ou mais tarde, ele aparece. Não tenha pressa. O amor não tem... Acompanhe o tempo dele. Sei que a sua hora ainda vai chegar :)
Desejo à você tudo de melhor que há nesse mundo, pois você merece.
E esse foi só mais um filho da puta que passou pela sua vida.
Tomara que seja o último. HAHA

Um beijo.