9.1.12

Seguir em frente.



Os dias vão passando e a terrível sensação vai amenizando. Você sabe que vai passar. É clichê. É chato ter que repetir isso toda hora. Mais chato ainda ter que ouvir isso toda hora, mas é isso: “Vai passar!” Você deseja, com todas as forças, ter controle sobre o tempo, sobre sua vida, sobre seu coração, sobre você mesmo. Porém, a verdade é que não se tem nada disso. Você se pega pensando: “Poxa, mais que vidinha mais filha da puta”. Filha da puta sim e um pouco injusta, talvez. Vai saber. As mudanças vieram de uma forma assustadora. Você jamais se imaginou assim... Fria, amarga (o). As marcas da dor fazem você criar uma cápsula de proteção. Ninguém entende quando você despreza o amor e começa a tratar o mundo com indiferença. Você percebe que suas lágrimas evaporaram. Você até tenta chorar, mas não consegue e tudo o que você queria era se afogar em um oceano de si mesmo para amaciar as emoções.  

Você, a partir de agora, começa a entender aquela frase: “A dor é inevitável. O sofrimento é opcional”. Você sempre ouvia, mas sempre se perguntava: “Como assim? Como o sofrimento pode ser opcional se existe dor? Como?” Você sempre se perguntava isso e indagava e se intrigava e se encabulava, mas agora... Agora você entende. O sofrimento é sim, opcional como muitas coisas na vida, também são. Você é quem escolhe.

Você julga a vida como se fosse ela a culpada pelos seus tombos. Não é a vida, são as escolhas. Temos o costume de olhar as coisas de uma só forma, mas pensa bem: A vida te dá infinitas chances e infinitas possibilidades, não enxerga você, porque não quer. É mais fácil se apegar aos lamentos do que simplesmente respirar fundo. Pedir um tempo. Calma aí vida! Posso tentar novamente? Tentar. Eu sei como isso soa aos nossos ouvidos. “Tentar o que? Tentar pra que? Já tô na pior mesmo.” Ninguém quer tentar, somos fracos demais pra chegar a tanto. O comodismo soa melhor que a palavra “tentar”. Tô mentindo? Me corrijam, caso eu esteja errada.  O medo de tentar novamente provocam arrepios. Escolha! Cabe a você continuar na fossa pelo que deu errado. Cabe a você compreender que tudo o que aconteceu na sua vida, de certa forma, foi para o seu bem. Nada nessa vida é de graça. Você sabe disso, não sabe?

Vocês agora são dois singulares. Eu e você.  O nós é nobre. Sublime. Não importa o quanto você ame dizer: “Eu vou a uma festa hoje à noite”. Vai ter um dia que você daria tudo pra dizer: “Vamos a uma festa hoje à noite?” Plural. Ninguém quer viver de singular. Se não foi dessa vez, será da próxima. Você tem que continuar. Seguir em frente. Deixar que agora, as estações te tragam um novo amor. Enquanto isso, siga em frente. Continue. Você não pode parar e o mundo não vai parar pra ver um coração humilhado, estraçalhado, abandonado, chicoteado, surrado. O verão já chegou. O sol brilha todos os dias e você quer mais o quê? Não importa o que esteja acontecendo na sua vida, certas coisas devem ser levadas mais a sério. Você deve ser levada (o) mais a sério. Ninguém no mundo é tão amável assim ao ponto de você deixar de se amar. Ame-se e ame mais  ainda, a sua companhia. Você é tão carente assim ao nível de não conseguir ser feliz sozinha (o)? Seja mais você.

Não espere nada. Um dia de cada vez. O bom é deixar as coisas como elas são sem querer fazer e acontecer. O que tem que acontecer, acontece e o que tem que ser, será. Mais uma coisa clichê. Eternos clichês. Eu sempre digo: Isso é tão clichê. Que coisa mais chata. Só que pensa bem: É clichê. É chato. Mas funciona. Tem mais uma coisa: Perdoe. Antes de qualquer coisa, perdoe. Perdoe a si mesmo e perdoe aqueles que te feriram. Não tem coisa melhor no mundo do que carregar um coração sem mágoas. As feridas vão se fechar futuramente, acredite. Se não é fácil liberar o perdão, conversa com Deus. Ele vai saber o que fazer, Ele sempre sabe. Agora, um último detalhe: Sorria. O mundo precisa de um sorriso e você, também. Não importa o quanto dói, você só precisa sorrir... Embora seja um meio-sorriso, não deixa de ser um sorriso. Você tem a vida e te garanto, não tem coisa melhor que acordar e saber que você está tendo mais um dia pra poder escrever a sua história. Paz!
Anna Carolina Morato.

Nenhum comentário: