28.3.12

Antes só.


Meus pais nunca me prenderam, muito pelo contrário, sempre me largaram, mas com uma condição: Toda e qualquer atitude errada causaria uma  consequência acompanhada de uma punição. Ótimo. Me ensinaram o que é o certo e o que é errado e deixaram sempre bem claro que a escolha é minha. Meus pais que são meus pais, não me prendem e não me tratam como propriedade deles, eu vou aceitar homem me tratar assim? Ah, me poupe. Eu até poderia estar escrevendo sobre a alegria de ter conhecido alguém legal, mas na primeira semana juntos ele cometeu o pior crime que alguém pode cometer contra mim: Me prendeu.

Eu não quero alguém que dê crise de ciúmes toda hora,  que desconfia de tudo o que eu falo e acha que é meu dono.  Eu não quero alguém que fique dizendo onde eu devo ficar ou com quem eu devo conversar. Não fui criada assim, não fui acostumada assim. Quer surtar, vai surtar bem longe de mim que eu não sou obrigada a aguentar homens inseguros que não confiam no seu próprio taco. Fala sério. Eu tenho mais o que fazer, né? 

Eu não gosto dessa preocupação de ter que ligar pra alguém ou mandar sms pra alguém, mas o que eles querem de mim é que eu fique de quatro e ligue de madrugada pedindo por um pouquinho de atenção e que seja aquelas ciumentas neuróticas ou aquelas afobadas que conhece o cara em um dia, liga e manda sms no outro. Eu não sou assim, nunca vou ser.  Eu não sei implorar. Não  deve se iludir com alguém como eu. Não me humilho por migalhas. Sossegada, na minha. Não tô nem aí pra nada, essa é a verdade.

Não sou a garota que precisa beijar todos em uma festa só pra provar que é desejada, eu não preciso provar nada pra ninguém. Muito menos a garota que dá em cima de todo malandro de sorriso safado  só pra conseguir um afago no ego, eu não preciso dar moral, eu já tenho. Eu já sou completa e não estou procurando por "alma gêmea" ou "metade da minha laranja"

Ser sozinha não me faz mal. Eu não sou louca o bastante pra aceitar viver com alguém incapaz de aguentar o tranco de me amar e odiar tudo ao mesmo tempo. Eu não nasci pra ser presa. Eu até diria que morri enjaulada na outra vida, isso é... se eu acreditasse nisso. Me ama, mas não me prende. Me ama, mas me deixa livre. Pássaros não foram criados para serem enjaulados. 
Anna Carolina Morato.

Nenhum comentário: