3.2.12

Você vai ficar bem . . .


Eu daria tudo para não te ver assim. Ver teus olhos castanhos - escuros todo poluído de lágrimas me joga no fundo do poço. É como se eu não aceitasse  vê-la  chorar. É como se você fosse forte o bastante para aguentar as porradas da vida sem derramar uma só lágrima, mas eu sei, ninguém é. O seu choro é o mais triste que eu conheço e é um dos quais eu odeio presenciar. Odeio mesmo. Você pede para que eu não a olhe com pena, mas eu não estava sentindo pena de você, sentia pena de mim mesma por não saber o que dizer, por manter o meu silêncio no momento em que alguém mais precisa da minha palavra amiga. Te abracei e ao sentir aquelas lágrimas em meu ombro, meus olhos se encheram de lágrima também. Eu não podia chorar, não ali com você. Mas mesmo que eu quisesse, não choraria. Estou fria demais para conseguir derramar uma lágrima  embora todas as noites implore aos céus por uma lágrima, uma só. Você pediu para me tranquilizar porque mesmo com aqueles olhos em dilúvio, com as vistas toda embaçada, você conseguiu ver no meu olhar o  desespero de não saber o que fazer. Me abraça. O mundo desabou sobre sua cabeça. É como se uma chuva de granizo tivesse atingido-a em pleno verão. As pedras de gelo acertaram-na de uma maneira tão forte que seu corpo inteiro está todo pigmentado . Você pensa que  a vida não lhe serve pra nada em meio aos seus soluços desesperados de dor e mágoa. Você não disse, mas eu sei. Já estive em seu lugar. Eu sabia exatamente como se sentia. Quer meu coração? Eu queria te dar meu coração. Ele não está tão machucado quanto o seu, ele ainda bate firme, uma vez descompassado, mas firme. O seu já estava correndo o risco de parar de bater no minuto seguinte. "Você vai ficar bem, vai ficar bem" - pensava comigo. O que me admira é que mesmo em meio à escuridão, sua luz brilha. Brilha tanto que no fundo, eu sei que você vai ficar bem. Você é o tipo de mulher que cai, fica sentada um pouquinho no chão até achar um jeito confortável o bastante para conseguir se levantar. Daqui a pouco você levanta, conheço bem a peça. Quero o teu sorriso logo. Enquanto eu não ver o seu sorriso sincero novamente, eu sei, eu não vou sorrir com sinceridade também!
Anna Carolina Morato.

Nenhum comentário: