9.12.10

Pobre coração!

" Eu acabei de quebrar um coração e, estou mal por isso"

 Ao ouvir essa frase, fiquei perplexa.  Até tentei desviar  o pensamento, mas isso realmente me chamou atenção, me fez refletir. Então é assim? Coração semelhante a um objeto. Imagine, você o tem na palma das suas mãos com duas escolhas: "Abraça-lo e segura-lo com mais força para que nada aconteça ou simplesmente deixa-lo se espatifar no chão". E de repente, por um descuido, o coração que você tinha em mãos, acaba de se quebrar. E aí? Não existe nada que você possa fazer para amenizar a dor, para colar os minuciosos pedaços, para conter o sangue, para cessar as lágrimas e ninguém  é capaz de saber qual  é o nível de resistência de alguém. Você sente muito, mas quebrar corações é como um ciclo... Sem intenção, você quebra o de alguém e mais tarde alguém quebra o seu. A sequência até pode ser intercalada, mas ninguém consegue se safar.

5 comentários:

mila disse...

"LOVE IS A CYCLE:
When you LOVE, you get hurt.
When you get HURT, you hate.
When you HATE, you try to forget.
When you try to FORGET, you start missing.
And when you start MISSING... you'll eventually FALL inlove again."

mila disse...

awn, linda. Será sempre bem vinda. Só não digo o mesmo porque ainda estou em função do vestibular, mas quando passar vou voltar a postar mais seguido e sempre te visitarei. Teu blog é muito lindinho e tu escreve muito bem.
beijinhos :*

Daniela disse...

Nossa! :o
Concordo com o que vc disse...
Ninguém consegue se safar :s

beeijos moça =*

Vinícius Aguiar disse...

Que pensamento cruel! No entanto, devo admitir que ele é verdadeiro. A única ressalva que faço é que, de acordo com experiências pessoais, posso afirmar que este "ciclo", assim como todas as coisas, também tem um fim. Chega um momento em que o coração passa a se acalmar, a se refugiar no mais lindo e verdadeiro dos sentimentos, que não permite dores, quebra, tristezas... felizes os que conseguem chegar a essa fase!

Parabéns, beijos!

Larissa disse...

Nunca deveríamos fazer com os outros o que não queremos que façam com a gente. Mas ninguém se preocupa. É um mundo egocêntrico demais. Precisamos preservar os que realmente se preocupam em cuidar de nós.

Um beijo, pequena Anna *-*