29.5.12

Robô que chora.


Eu penso que sou a mulher de ferro, entende? Pode bater que sua mão quebra, mas meu coração não. Mas eu só penso, só penso. Quando eu estava começando a acreditar que realmente meu coração havia petrificado, lágrimas rolaram dos meus olhos. "É sério mesmo que eu tô chorando?" Eu não sabia se sorria  ou se chorava de vez. Mas no fim, acabei chorando mesmo. Só sei que chorei e chorei muito. . . E lá estava eu, chorando como se não houvesse amanhã. Chorei por tudo. O choro contido de todos os meses ali, sendo derramados em uma tsunami de lágrimas. Tudo que não foi dito, tudo que não foi escrito, tudo que foi sentido em lágrimas. Chorei até pelos meus peixinhos que morreram e pela cachorrinha que eu ganhei que também morreu. Chorei mesmo. É que sei lá, sabe? Eu me robotizei, mas você já viu robôs ter coração? Então, nem eu!

Anna Carolina Morato

Um comentário:

AnaXimenes disse...

"Sentimentos machucam como facas, e queimam como fogo, mas esfriam como café, e somem como nuvens."