25.6.12

Relatos de uma consumista.


Eu sou ajuizada, é claro que eu sou. Exceto quando estou dentro de uma loja. Toda a conduta de pessoa responsável e consciente some. Sabe aquele tipo de cliente que deixa qualquer vendedora louca? Então, essa sou eu. Entro nas lojas, experimento tudo que eu vejo pela frente. Bagunço toda a pilha de roupas que elas tinham acabo de organizar. Experimento sapatos. Brincos. Anéis. Pulseiras. Óculos. Bolsas. Blusas. Colares.  Vestidos. Principalmente os vestidos, minha paixão.  É que não basta ser mulher. Não basta ser problemática. Não basta ser tripolar. Não basta entende? Tem que ser consumista também! 

Eu aprendi a ser assim com a Sra. Morato porque quando eu era criança, não comprava-se roupas e acessórios por mês, comprava-se por semana. Sábado era dia do que? Coooooooooooooooompras!!!! Não bastasse o que já tinha sido comprado durante a semana, tinha que comprar mais no sábado porque sábado era dia de gastar. Sempre foi. Essa característica consumista eu adquiri com ela, só que agora não posso culpa-lá por eu comprar como se não houvesse amanhã. É, realmente eu não posso culpa-lá. Daqui dois meses e cinco dias eu faço dezoito anos e além do mais, eu já assumo minhas responsabilidades. 

A minha vida desandou quando eu comecei a trabalhar.  Cai na ilusão de que poderia comprar tudo. Engano meu. Um salário minimo não dá e ainda falta. Sou consumista mesmo e gasto todo o meu dinheiro. " Compra. Aproveita. Aproveita agora que você é nova, não tem filho. Não tem marido e não tem casa pra sustentar." - diz a vendedora, diz a cliente consumista do meu lado. Não tenho nada disso, mas tenho futuro e aí? Só que na hora da compra, eu não lembro dele. Eu esqueço completamente. Eu não penso, eu só compro. Compro como se não houvesse amanhã, nem depois de amanhã, nem semana que vem, nem mês que vem.  Eu compro. Compro. Compro e o pior, só penso em comprar.

Cada um desconta suas emoções em algo ou alguma coisa e quando nada está bem, eu compro. É um vicio. Meu devaneio. É bom só na hora porque depois volta tudo ao normal, só que pior. Eu vou para as lojas pra boicotar meus sentimentos, mas depois que o efeito passa, tudo fica ruim novamente. Eu me arrependo. Me arrependo muito. Mas mesmo me arrependendo e me sentindo horrível por ser tão fútil, lá estou eu: comprando. "Carolina, para de gastar." - diz minhas amigas. Só que não dá, é mais forte que eu. É muito mais forte. Não posso me esquecer que  isso é mais um assunto para ser tratado com a minha psicologa mês que vem porque esse mês eu gastei o dinheiro da sessões.

Anna Carolina Morato.

2 comentários:

Amanda Oliveira disse...

Carolina não pare de gastar , eu me junto a você kk www.mandaliveira.blogspot.com

Brunno Lopez disse...

Não sabia que você era uma perdulária incontrolável, Anna! Hehehe!

Acho que o ponto mais interessante da sua narrativa é quando você diz que compra para "boicotar seus sentimentos".
Fica bem claro que essa é uma forma de você lidar com suas emoções, mas aconselho que procure algo que seja mais barato!

Guarde para as sessões e assim poderá ser rica!